sexta-feira, outubro 22, 2010

A Volta

Se eu pudesse te matava

Arrancava teu pescoço

Qual fez Salomé a João

Num livre estado de gozo


Cansei de ser tão bonzinho

E a tudo ser tão ordeiro

Cansei de ser teu escravo

Não quero ser teu cordeiro


Quero me jogar na lama

Beber o vinho de Baco

Festejar a noite inteira

Dormir em qualquer barraco


Eis a minha independência

Minha carta de alforria

Voltarei a ser boêmio

Sorrir como antes sorria


Assim como Antonieta

Vou-me embora ficar só

Desse teu coração sujo

Eu não quero nem o pó

3 comentários:

Diana Athenas disse...

Senhores amigos da lama pantanosa, tremei!!!
Ele está de voltaaaaa...
#MEDA

Muito bom, como sempre, aliás!XD

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-Como a Fênix renascida! kkkk...
AdorOoO!!!...

TARCIO VIU ASSIM disse...

Hum.... o que seria "num livre estado de gozo'? .... algo que só a experiência viva do poeta pode descrever?