segunda-feira, dezembro 13, 2010

à Meu Platônico

Ilusão rima com teu nome
Criei-te em meus pensamentos
Teu corpo, voz, sentimentos...
Imaginar-te meus dias consome.

Queria poder dar-te um rosto...
Coragem, tu só vens etilicamente
A sobriedade me deixa dormente,
Impede-me de sentir teu gosto.


E torço para que chegue o dia
Em que nossos corpos se pedirão,
Mas nunca te vi, serás meu padrão?
Pouco me importa como és, me guia!

Até chegar ao teu regaço,
Faz de mim a tua Deusa,
Faz de mim a tua preza,
Faz de mim o teu pedaço...

2 comentários:

Atheniensis disse...

Ele é gostoso de um jeito diferente!!! hahahahahaha

Pois é, devia ter esta no convite!hahahaha

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-Viu, não custa nada mostrar o que sentimos e por quem sentimos em nossos versos medíocres ou não. O que importa a final não são os versos, mas sim o que eles representam. Tá lindo amiga!