quarta-feira, outubro 13, 2010

Tão real...

É demasiada a loucura,
sentires a temperatura,
Daquele que nunca viste,
Que nem sabes se existe?
Pois tragam-me camisa de força,
Que nunca nenhuma outra moça
Será a musa das Tamarindeiras,
Iludida, sem eiras e beiras...
Pois no auge do meu torpor,
Nunca senti tamanho ardor,
O toque dos seus doze dedos,
A entrega, sem ânsias, sem medos
Pois entre o pavão exibicionista
E a tartaruga nunca antes vista,
Quero antes tê-la nua em pelos,
Fazê-la pente a roçar-me os cabelos,
Para depois quedar-me em seu peito,
Sentindo no colo o enlace perfeito.

Diana Athenas

2 comentários:

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-E ainda diz que não sabe fazer poesia... kkkk... Seii.
Está cada vez melhor a sua técninca auto-biográfica-melancólida-tragico-sufocante-arrebatadora Di!!!

Adorei.

Diana Athenas disse...

hahahahahaha...
Só vc mesmo viu pra dizer essas coisas!!!
Brigada gatééénho, tenho que me esforçar mesmo, para ficar a altura de meus companheiros de blog!! XD
xerooo.