domingo, julho 11, 2010

Promessas

Existem certas promessas

Que deixei de acreditar

Melhor não prometer nada

Pra não se juramentar


Quando se promete muito

Sempre se tende ao fracasso

No início é muito cômodo

Depois vira um embaraço


Aquele que não promete

É sempre mais cuidadoso

Tem uma vida tranqüila

E farta de muito gozo


Se tudo está indo bem

É melhor manter assim

Do que prometer um mundo

Pra não dar nada no fim


Às vezes quem não promete

Acaba fazendo mais

Do que quem tudo promete

E nem a metade faz


Antônio José Xavier (Apolo)

2 comentários:

Diana Athenas disse...

Nossa... Me identifiquei, vivo ouvindo promessas que não serão cumpridas!! =/
Adoro suas poesias!!

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-Essa é pra nós que já estamos cansados de ouvir promessas sem comprometimento, rsrsrsrs...

Sou teu fã garota!