terça-feira, maio 24, 2011

Balada da Má Educação

Eu sempre tão gentil

Pensando em te ajudar

Você sempre tão frio

Tentando me atacar


Te ligo te acarinho

Você me trata mal

As vezes teu amor

Parece um vendaval


Se estamos lado a lado

Aumenta a distância

É como se a ausência

Causasse a circunstância


Faço um jantar romântico

Seguro tua mão

Seus gestos são gelados

Sem qualquer reação


Meu bem não posso mais

Com essa situação

É pena mais cansei

Dessa má educação



2 comentários:

TARCIO VIU ASSIM disse...

Não merece seu amor. Joga pedra nesta peste!

Antônio José Xavier (Apolo) disse...

-Kkkkkkk... Será apedrejado em praça pública!